Catarata - Você não precisa de enxergar embaçado, ela tem tratamento.

Guilherme Moreira Kappel
Em:  
Conheça sua Doença
3
de
August
de
2019
Escrito por
Guilherme Moreira Kappel

Você tem mais de 50 anos e sentiu que sua visão começou a ficar embaçada. Sabia que isso pode ser um sintoma de catarata? Saiba tudo sobre essa doença, seus tratamentos e prevenção.

A catarata é uma doença ocular que torna o cristalino (lente interna do olho) opaco e deixa a visão embaçada. Sua evolução geralmente é lenta e na maioria das vezes não é visível a olho nu, exceto casos mais severos em que ela está totalmente da cor branca.

É comum que leigos confundam Catarata com Pterígio. Catarata é a opacidade do cristalino, estrutura interna do olho. E, Pterígio é a degeneração da conjuntiva, pele que recobre o olho, que pode ter ou não indicação cirúrgica.

Esclarece o médico oftalmologista Guilherme Kappel.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a catarata é responsável por aproximadamente 50% dos casos de cegueira no mundo, ela ocorre principalmente em idosos e, a cegueira causada por ela é reversível se tratada corretamente.

Sintomas

Pacientes com sintomas iniciais de catarata costumam dizer que a alteração da visão é semelhante a ver o mundo através de uma vidro embaçado. É comum, que esses pacientes antes de serem diagnosticados acreditem que a causa da visão embaçada seja seus óculos e passam a limpá-los com frequência ou mesmo trocar suas lentes, mas nada disso adianta.

Além da sensação da visão embaçada e turva, também são sintomas da catarata:

  • distorção das imagens;
  • alteração contínua da refração (grau dos óculos ou lentes de contato);
  • dificuldade para ver a noite (principalmente ao dirigir);
  • aumento do ofuscamento;
  • maior sensibilidade à luz;
  • espalhamento dos reflexos ao redor das luzes em forma de halos;
  • percepção que as cores estão desbotadas;
  • visão dupla em um olho;
  • lacrimejamento.

A catarata pode avançar de forma que a pessoa passe a enxergar apenas vultos e em casos extremos pode evoluir até a cegueira.

Na maioria das vezes, nos estágios iniciais da catarata, o paciente não possui nenhum problema de visão e a doença só pode ser diagnosticada pelo médico oftalmologista com o auxílio de exames diagnósticos.

Explica o médico oftalmologista Guilherme Kappel.

Causa

A catarata ocorre quando o cristalino fica opaco. Existem diferentes causas que geram a opacidade desta estrutura e são elas que classificam a catarata em 5 diferentes tipos: catarata relacionada a idade, catarata congênita, catarata secundária, catarata traumática e catarata de radiação.

Catarata relacionada à idade

A catarata relacionada à idade ou catarata senil é o tipo mais comum da doença. Ela é causada pelo envelhecimento do nosso corpo, ou seja, todos nós teremos catarata em idades mais elevadas, é apenas uma questão de tempo.

Catarata congênita

A catarata congênita, um tipo menos comum que a catarata relacionada a idade, está presente no nascimento ou se manifesta no primeiro ano do bebê. Sua causa esta relacionada a mãe e sua saúde durante a gestação, por exemplo, o bebê pode desenvolver catarata se a mãe tiver uma infecção ou, doenças como rubéola, sífilis e toxoplasmose no primeiro trimestre da gestação ou, se fizer uso excessivo de drogas e álcool durante a gravidez.

Catarata secundária

A catarata secundária é causadas por doenças ou medicamentos. As doenças que estão associadas ao desenvolvimento deste tipo de catarata incluem glaucoma, uveítes e diabetes. Além disto, o uso de medicamentos esteroides também pode levar à catarata.

A catarata secundária pode se desenvolver após cirurgias oftalmológicas, como, por exemplo, a cirurgia de retina.

Complementa o médico oftalmologista Dr. Guilherme Kappel.

Catarata traumática

A catarata traumática, como o próprio nome sugere, pode ocorrer em qualquer idade após um trauma ocular, uma lesão no olho, um soco ou batida forte. Em alguns casos pode levar vários anos após o evento para que ela se desenvolva.

Catarata de radiação

A catarata de radiação pode se formar após um paciente passar por tratamentos que envolvam exposição frequente a radiação ionizante, como por exemplo raio-x e radioterapia para tratamentos de câncer.

Atenção

Se você tem mais de 50 anos, está obeso, é diabético ou hipertenso, há uma grande chance de você ter alguns sinais de catarata, mesmo que não perceba nenhum problema significativo de visão.

Além disso, sabemos que alguns fatores podem aumentar o risco de desenvolver catarata:

  • exposição excessiva dos olhos à radiação ultravioleta (UV) da luz solar sem devida proteção ou proteção inadequada;
  • tabagismo;
  • fazer consumo excessivo de álcool;
  • fazer uso de medicamentos a base de corticosteroides;
  • doença no interior do olho como glaucoma, retinite pigmentosa ou descolamento da retina;
  • exposição frequente radiação ionizante, como a utilizada nos raios X e radioterapia para câncer;
  • cirurgias oculares como vitrectomia;
  • lesão ocular prévia ou inflamação;
  • entre outras.

VEJA nossa matéria Proteja seus olhos dos raios solares onde o Dr. Marcelo Meni explica o mal que os raios solares fazem para nossos olhos e como podemos nos proteger.

Tratamento

A cura da catarata só é possível por meio de tratamento cirurgico, não há tratamentos clínicos para ela.

Quando diagnosticada muito precoce, os sintomas da cataratas podem ser resolvidos simplesmente com a atualização da prescrição dos óculos ou lentes de contato. Essa ação é paliativa e irá restaurar a visão para um nível aceitável apenas por um período. Com o avanço da doença essa mudança passa a não ser efetiva e a redução da visão passa a afetar as atividades diárias. Nesta etapa da doença, apenas a cirurgia de catarata poderá restaurar a visão.

Felizmente, com os avanços tecnológicos, a cirurgia de catarata, embora muito delicada, tem se tornado cada vez mais rápida e segura, com sucesso na maioria dos casos.

A operação é realizada com anestesia local e consiste na substituição do cristalino por uma lente artificial, chamada lente intraocular (LIO), feita sob medida e de acordo com a curvatura da córnea. Após cirurgia, o paciente vai para casa no mesmo dia, com recomendação de evitar movimentos bruscos e inclinar da cabeça. Nos dias seguintes, colírios e pomadas receitados pelo médico oftalmologista devem ser aplicados para afastar o risco de inflamação. Caso o catarata esteja presente também no outro olho, a cirurgia para eliminar o problema será agendada.

Somente o oftalmologista poderá solicitar os exames necessários para a confirmação do diagnóstico de catarata, bem como, indicar o melhor procedimento cirúrgico para tratamento. Durante a consulta e exames pré-operatórios, o oftalmologista irá apresentar as opções de LIOs mais indicada para o caso do paciente e, também, apresentará os mais recentes avanços na tecnologia de cirurgia de catarata, incluindo cirurgia de catarata assistida por laser, que fornece um nível mais alto de precisão para as várias etapas da cirurgia de catarata.

Lembre-se!

O cuidado com a saúde dos olhos deve ser algo diário, fique atento a qualquer mudança na sua visão e não deixe de visitar seu médico oftalmologista ao menos uma vez por ano.

Nos ajude a promover a saúde ocular, compartilhe nossa matéria nas redes sociais. A saúde de nossos olhos agradece.

Guilherme Moreira Kappel

Consulta e Exames Oftalmológicos. Tratamentos e Cirurgias Para Doenças Oculares. Oftalmologista em São Paulo. Especialista em Retina, Cirurgia de Retina e Vítreo, Edema Macular, Retinopatias, Degeneração Macular.

Recomendado para você