Mapeamento de retina

Guilherme Moreira Kappel
Em:  
Hora do Exame
6
de
November
de
2018
Escrito por
Guilherme Moreira Kappel

Você possui alto grau de miopia? É diabético ou hipertenso? Seu médico te pediu um mapeamento de retina? Tire todas as suas dúvidas e saiba como se preparar para o exame.

O mapeamento de retina, também conhecido como fundo de olho, oftalmoscopia indireta, MR e MAP, é um exame complementar que avalia de forma detalhada o fundo de olho: retina central e periférica, nervo óptico e vasos sanguíneos.

Mapeamento de retina não é fundoscopia! O mapeamento de retina é um exame complementar mais completo que a fundoscopia, permite observar apenas as partes centrais do fundo do olho.

explica o médico oftalmologista Dr. Guilherme Kappel.

O exame utiliza um equipamento chamado oftalmoscópio indireto (Figura 1) e uma lente especial. O equipamento incide uma luz ao olho do paciente, através da lente, que permite ao oftalmologista visualizar o fundo do olhos e as estruturas internas: nervos, vasos sanguíneos e o tecido da região posterior do olho.

Oftalmoscópio indireto para mapeamento de retina. (Fonte: Eyetec)
Figura 1. Oftalmoscópio indireto para mapeamento de retina. (Fonte: Eyetec)

Quem tem que fazer

Quando um médico suspeita que os sintomas visuais do paciente podem ser causados por alterações na retina, ele solicitará exames específicos e o mapeamento de retina é um deles.

As observações feitas pelo oftalmologistas durante o exame são fundamentais para a avaliação de alterações na retina, muito comuns em pessoas com média e alta miopia, baixa visão, que sofreram traumas oculares, que possuem diabetes e hipertensão, ou que sofrem com as moscas volantes.

SAIBA MAIS sobre moscas volantes, aqueles pontinhos pretos e mosquitinhos que parecem flutuar sobre nossos olhos.

O exame também fornece informações importantes para a avaliação pré e pós-operatórias de cirurgias intraoculares e refrativas LASIK e PRK. Além disto, permite o diagnóstico e acompanhamento da evolução de doenças como retinopatias hipóxicas (diabética, tromboses, Eales, anemia falciforme), retinopatias hipertensiva, inflamações, quadros infecciosos, patologias de vítreo, retina, coroide, nervo óptico, entre outras.

O mapeamento de retina, além de avaliar alterações da retina, também permite diagnosticar e acompanhar a evolução de doenças como diabetes, hipertensão, problemas neurológicos, hematológicos e reumáticos. O exame também é indicado para bebês prematuros.

destaca o oftalmologista Dr. Guilherme Moreira Kappel.

O mapeamento de retina pode ser realizado em outros casos não citados anteriormente, a necessidade do exame será definida após avaliação de um médico oftalmologista.

Preparando para o exame

Se você tem que fazer o exame de mapeamento de retina não se preocupe, ele não dói, não tem contato com os olhos e sua duração, sem considerar o tempo de preparo, é de 10 a 20 minutos (Figura 2).

Figura 2. Informações complementares sobre o exame de mapeamento de retina. (Fonte: Rede Olhos)
Figura 2. Informações complementares sobre o exame de mapeamento de retina. (Fonte: Rede Olhos)

No preparo para o mapeamento será necessário dilatar a pupila, por isso você precisa levar acompanhante e, não poderá dirigir após o exame. No dia do exame o paciente será orientado a retirar as lentes de contato, caso faça uso (Figura 3).

Figura 3. Orientação e preparo para o exame de mapeamento de retina. (Fonte: Rede Olhos)
Figura 3. Orientação e preparo para o exame de mapeamento de retina. (Fonte: Rede Olhos)

Lembre-se!

O cuidado com a saúde dos olhos deve ser algo diário, fique atento a qualquer mudança na sua visão e não deixe de visitar seu médico oftalmologista ao menos uma vez por ano.

Guilherme Moreira Kappel

Consulta e Exames Oftalmológicos. Tratamentos e Cirurgias Para Doenças Oculares. Oftalmologista em São Paulo. Especialista em Glaucoma, Retinopatia, Edema e Degeneração Macular.

Recomendado para você