Melhora ou piora? E agora?

Guilherme Moreira Kappel
Em:  
Fique de Olho
26
de
November
de
2018
Escrito por
Guilherme Moreira Kappel

Quem nunca teve dúvida ou medo de responder esta famosa pergunta e comprometer o seu exame de vista? Entenda como o exame é feito e descubra se sua resposta pode te prejudicar.

O exame de refração, conhecido popularmente como exame de vista ou exame de grau, é utilizado para determinar o quanto a pessoa consegue enxergar e define o grau dos óculos, caso esses sejam necessários.

É muito importante que você faça o seu exame oftalmológico completo e com muita atenção. Mas, não se preocupe, caso tenha dúvidas sobre qual a melhor lente a escolher, isso não comprometerá o resultado do seu exame.

A dúvida não compromete o seu exame

Quando você vai a uma consulta oftalmológica é feito uma avaliação completa de sua visão. Muitos exames são realizados, entre eles o exame de refração (Figura 1), que determina a acuidade visual das pessoas e define o grau dos olhos.

Figura 1. Greens, aparelho utilizado no exame de refração. (Fonte: Pixabay)
Figura 1. Greens, aparelho utilizado no exame de refração. (Fonte? Pixabay)

O exame de refração é composto de duas partes: uma objetiva e outra subjetiva. A parte subjetiva depende da colaboração do paciente. E, é nesta etapa que surge a confusão, angustia, dúvida e medo de responder qual das lentes é a melhor! 

A dúvida sobre qual é a melhor lente não prejudica o resultado do exame de refração. Durante uma consulta oftalmológica, o médico oftalmologista obtém muitas informações sobre sua visão: informações que você fornece para ele (subjetiva), informações que ele obteve (parte objetiva) do exame de refração, além de informações de outros outros exames e avaliações realizadas. Apenas ao analisar todas as informações ele finaliza a prescrição, com a definição do grau e a necessidade de prescrição óptica.

A dúvida do paciente não prejudica o resultado do exame, pois temos outras técnicas e informações para embasarmos o nosso diagnóstico. mas ela pode contribuir com pequenas e aceitáveis variações no grau.

Explica o médico oftalmologista Dr. Guilherme M. Kappel.

SAIBA MAIS sobre essas variações de graus em nossa matéria É normal uma pequena variação do grau nos óculos, onde o Dr. Júlio Hecker Kappel explica o que é aceitável os fatores que contribuem para alteração.

Quando precisamos de óculos

A necessidade de usar óculos ou lentes corretoras só pode ser determinada por um médico oftalmologista. Durante a consulta oftalmológica ele avalia os sintomas e sinais apresentados pelo paciente, sua idade e resultados dos exames subjetivos e objetivos, e então defini a prescrição óptica, se necessária.

Frequência que o grau deve ser verificado

A frequência em que o exame de refração deve ser realizado é determinada pelo oftalmologista. Geralmente, recomenda-se que o exame seja realizado anualmente, junto ao check-up oftalmológico.

Durante o check-up oftalmológico a saúde ocular do paciente é verificada: Pessoas que não usam óculos podem certificar que esta tudo bem com sua visão. E, pessoas que usam óculos podem fazer a revisão de seus óculos.

Para crianças é recomendado que o exame de refração seja feito em seu primeiro ano de vida. Porém, se for observado olhos desalinhados o bebê deve realizar seu primeiro exame de refração aos 6 meses de idade.

SAIBA MAIS sobre A visão das crianças, onde o Dr. José Ricardo explica e esclarece as principais dúvidas dos pais!

Lembre-se!

O cuidado com a saúde dos olhos deve ser algo diário, fique atento a qualquer mudança na sua visão e não deixe de visitar seu médico oftalmologista ao menos uma vez por ano.

Guilherme Moreira Kappel

Consulta e Exames Oftalmológicos. Tratamentos e Cirurgias Para Doenças Oculares. Oftalmologista em São Paulo. Especialista em Retina, Cirurgia de Retina e Vítreo, Edema Macular, Retinopatias, Degeneração Macular.

Recomendado para você